Os preços na zona de Lisboa voltaram a subir no segundo trimestre, depois de terem caído no início do ano. Na cidade do Porto, preços saltaram quase 18% em 12 meses.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Os preços das casas na região de Lisboa voltaram a subir no segundo trimestre, depois de terem caído no início do ano, confirma o Instituto Nacional de Estatística (INE) num relatório trimestral divulgado esta quinta-feira. Ainda assim, os preços na capital subiram menos do que a média nacional. Por outro lado, num análise à evolução dos preços nos últimos 12 meses, na cidade do Porto os preços dispararam 17,8%.

O relatório do INE indica que a região que inclui a capital do país recuperou da variação negativa dos preços da habitação que se tinha verificado no primeiro trimestre, embora tenha registado um crescimento homólogo (+1,4%) inferior ao nacional (+6,8%). Esse aumento de 6,8% na média nacional reflete uma aceleração face ao primeiro trimestre, muito marcado pelo pico da pandemia – no trimestre anterior a taxa de crescimento homólogo tinha sido menos de metade, 3,1%.

Segundo os dados do INE, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi de 1.268 euros por metro quadrado – em Lisboa é quase o triplo: 3.497 euros por metro quadrado.

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

“No 2º trimestre de 2021, entre os 24 municípios com mais de 100 mil habitantes, todos os municípios das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, com exceção de Gondomar e Santa Maria da Feira, registaram preços medianos de habitação superiores ao nacional (1.268 euros/m2 ), destacando-se Lisboa (3.497  euros/m2), Cascais (3.040 euros/m2), Oeiras (2.519 euros/m2), Porto (2.189 euros/m2) e Odivelas (2.137 euros/m2)”, diz o INE.

Quando se olha não para a variação homóloga mas para a forma como evoluiu o valor mediano dos preços nos últimos 12 meses, “a cidade do Porto, tal como no trimestre anterior, destacou-se por registar o maior crescimento face ao período homólogo (+17,8% vs. +7,1% em Portugal)”.